Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!
Primeiras empolgações, ops, impressões

Primeiras empolgações, ops, impressões

Por José Eduardo Zanon

Salve, torcedor dos Saints!

Eu sou o José Eduardo, mas podem me chamar de Zed, e gostaria de pedir sua permissão para, semanalmente, vir aqui escrever um pouco das minhas impressões e sentimentos sobre o jogo do New Orleans Saints e um pouco sobre a rodada da semana na NFL.

Uma breve apresentação. Sempre que me perguntam “desde quando você torce para o Saints?”, eu nunca sei precisar o tempo. Não faço ideia. Comecei a assistir NFL lá em 2011, mas nem acompanhava muito bem, só sei que de repente estava gostando e me programando para assistir os jogos pela TV. E no meio disso apareceu um time de branco, preto e dourado, e quando vi já estava torcendo para Drew Brees e sofrendo com a defesa mais medonha da qual me lembro. Só que não vi a temporada do Superbowl. Pois é, vai entender. De uns tempos pra cá, venho cada vez mais acompanhando todos os jogos possíveis, não só dos Saints, e já até aliciei alguns amigos nesse vício. Gosto muito dos jogos, gosto de tomar minha gelada enquanto assisto e gosto de ver jogadas de talento fantásticas, ou de pura sorte. Gosto de ver as jogadas erradas, as trapalhadas históricas, que entram pros melhores (piores) momentos de todos os tempos. Gosto de dormir tarde assistindo os jogos feios, ou os belos jogos.

Nunca me apeguei muito a números e estatísticas, que é uma parte importante de gostar do jogo, as transmissões e análises são muito relacionadas a esses números, bombardeados o tempo todo na tela. Eu até vejo, mas minha memória de peixe (é como minha esposa se refere à minha capacidade cognitiva e de lembrar de algo simples quando mais preciso) me faz esquecer muita coisa. Então, nem adiantaria me apoiar nisso ao comentar por aqui. Vou tentar ser mais conciso e mais passional possível, ninguém merece ficar lendo vinte parágrafos de análise sem números, apenas um cara falando do que gostou e não gostou. Gostaria de vir e fazer análises leves sobre o que vi e o que curti, ou não, dos jogos dos Saints nessa temporada, e brevemente sobre os outros jogos que conseguir acompanhar, mas principalmente comentar sobre as minhas impressões sobre as jogadas e o comportamento do time.

Impressões boas como eu tive assistindo nosso primeiro drive do jogo contra os Kansas City Chiefs, com o time principal, conduzida com brilho pelo estreante Derek Carr. Teve grande participações de Alvin Kamara, seja correndo ou recebendo num screen durante uma blitz. Como é bom ter um quarterback que não se apavora, não é?

Michael Thomas voltou, e que fique até o fim da temporada, fez uma das suas recepções, daquelas difíceis, quase no chão, sem problemas. Como eu amo esse cara. Faltou um pouco do Olavinho do Bem. Mas tivemos AT Perry! E temos boas armas para o Carr. Teve Jamaal Williams e seu motor que não desliga. Tivemos uma preocupante lesão do Kendre Miller, para não perder o costume de jogadores no departamento médico…

Tivemos Jameis Winston não fazendo das suas, e conseguindo um passe pra TD dos mais loucos possíveis. Tivemos Will Lutz. E teve um passe pro Jimmy Graham e o Superdome (e eu aqui em casa) quase caiu… Saudades!

O homem voltou! (Michael C. Herbert/ New Orleans Saints)

Jake Haener, nosso QB calouro, entrou a maior parte do jogo, com muitos jogadores que pouco vão encostar na bola durante a temporada, mas ainda precisa de muita coisa, está cru demais ainda para o ritmo da NFL. Mesmo sendo elogiado pelo velho Brees (Saudades!) durante a transmissão, ainda tem um longo caminho pela frente se quiser ser o futuro da franquia.

A defesa titular se mostrou segura. Depois, vimos muitos erros de pré temporada, falta de entrosamento e comunicação, e os erros de posicionamento da defesa como vimos no último ano. Mas aqui, eu vou falar: TORCEDORES CALMA. Tudo pode piorar. Mas não interessa. Não agora. Ainda não.

Superbowl já é realidade!

Sem contar o final do jogo. Eu sei que é pré temporada. Mas ainda bem que fiquei até o fim (apesar do esforço incomensurável do app da DAZN para que eu desistisse) pois houve de tudo um pouco. Um drive com TD decente, passe de Haener para Ellis Merriweather, aquela tentativa de conversão de dois pontos frustrada (para podermos xingar o Dennis Allen com propriedade), pronto, perdemos, ok, acontece. Mas quem desligou foi quem perdeu. Eu não sei nem como explicar, mas entregaram a bola para o Saints, numa interceptação pra lá de bizarra já ali, nos dois minutos finais, queimamos tempo e chutamos no final, com o improvável calouro Blake Grupe anotando os 3 pontos para a vitória dos Saints.

Interceptação bizarra por K. Phillips nos últimos minuto de jogo (Michael C. Herbert/ New Orleans Saints)

Foi um primeiro drive empolgante. Foram dois bons drives, dois TDs. Todo mundo empolgado. Até os pessimistas. Boas perspectivas para a temporada. O que pode ser ruim, em se tratando de Saints. Ou não. Vai que…

Eu estou empolgado. Não sei vocês. Ganhamos do atual campeão. Isso é um sinal. Dane-se que é pré temporada. Semana que vem tem mais. Até fevereiro tem mais.

Bora, Saints!

Venha me ver falando bobagem e sofrendo com o New Orleans Saints em outros lugares, no antigo Twitter e no Instagram.

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.