Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!
A Evolução do Saints Desde 2017

A Evolução do Saints Desde 2017

Como o  Saints caminhou nessas duas últimas temporadas sem seu quarterback principal, Drew Brees?

Creio que é de extrema relevância ressaltar o porquê do sucesso do time e como isso está sendo construído desde 2017.
O Saints acabará de ter o seu terceiro 7-9 consecutivo e estava tentando “reconstruir” o time depois dos problemas que haviam ocorrido dentro e fora de campo após a última campanha vitoriosa em 2013. Apesar dos ótimos nomes do draft de 2016 o time parecia estar estagnado.
O Começo
É em 2017 com um draft absurdo (Lattimore, Ramczyk, Kamara e etc) que o Saints muda seu patamar na liga. Cabe ressaltar que a free agency daquele ano também trouxe bons nomes (Fariley, Okafor, Klein) e apesar dos pesares contribuíram para a evolução do elenco.
Mesmo com o começo conturbado, as derrotas horrorosas para Vikings e Patriots, Allen começa a construir uma defesa, Aaron Gleen finalmente tem jovens de primeiro escalão para trabalhar, já que todos sabemos que não dá para sobreviver com UDFA a torto e a direito e vencer nessa liga.
Outro nome importantíssimo a ser adicionado é o técnico de DL do Saints, Ryan Nielsen, que vai logo de cara mostrar o porque de encontrar um cargo na NFL, cabe salientar que, basicamente, toda sua DL de NC State foi escolhida durante o draft de 2018.
2017 com seus erros e acertos é um ano de aprendizagem, mas de um demonstração de potencial enorme do elenco e do time como um todo em menos tempo do que se esperaria, tendo em vista o número de peças que estavam chegando e assumindo funções importantes.

O Meio
2018 já aponta para ser um ano promissor, mesmo com um draft um pouco (muito) contestado, o time já possuía um time bem mais encaixado e a ainda acerta com um nome excelente na FA, Demario Davis, que rapidamente torna-se líder do elenco e um dos melhores jogadores da posição.
Temos um começo preguiçoso e de mais adaptações ao longo do caminho, mas novamente o Saints saiu como campeão da divisão e dessa vez dando um passo a frente, chegando até a final da NFC e o resto vocês já sabem.
Mas cabe aqui ressaltar como o elenco se sustenta como um dos melhores da liga, evoluindo jovem jogadores como Bell, Williams, Onyemata, Thomas, Rankins, que tem uma temporada fora da curva, lembra do trabalho técnico ? Pois é.

O Meio, Parte II
2019 deveria ser o ano, certo? Logo de cara um jogo emocionante e depois a lesão de Brees, Teddy entra em campo, não há aqui que se negar a qualidade do jogador, mas como o elenco maduro, tecnicamente e mentalmente preparado consegue fazer o Saints vencer todos os jogos.
Davenport cresce durante o ano, até a lesão, Tuttle aparece, Jordan tem uma temporada estelar, Davis consolida-se como All Pro, Deonte Harris tem aparições importantes.
O coaching staff consegue tirar o melhor do elenco em jogos que apresentam cada um uma dificuldade diferente, Dallas, Seattle, Jacksonville e com lesões importantes aparecendo, como a de Kamara por exemplo, que faz Sean Payton ter que mudar o que havia planejado.
Vencemos a NFC por mérito da montagem desse elenco, com mais um bom draft, do coaching staff e de um time forte em praticamente todos os setores e isso chega até 2020 e por mais que mudem as peças, parece um filme repetindo-se.

Finalmente 2020, mas ainda não é o final

Bom draft, boa FA, o crescimento de mais jogadores, CJGJ, Hendrickson, além da leitura para ver as mudanças a serem feitas, a troca por Kwon, a manutenção de Janoris Jenkins, a volta de Malcom Jenkins, entendendo aonde esse elenco está e o que ele necessita.

Começo difícil é com o Saints, até este que vos fala exagerou em algumas criticas, mas o time volta e domina a NFC de novo e novamente vence todos os jogos, até o momento. Como QB reserva, Hill está longe de estar perto de Teddy, apesar das qualidades atléticas e de Brees nem se fala, mas o elenco é todo estruturado para suportar os jogos pelo caminho e brigar independente da situação.

A defesa virou a chave, por adaptações técnicas e melhoras individuais, e lidera a liga ou é top 5 em quase todos os quesitos, Michael Thomas voltou e passa muita segurança depois da lesão, Kamara é um dos melhores jogadores da liga na posição e se consolidou com um dos líderes desse time.

E novamente, isso vem desde 2016, 2017, e com passos, mesmo que não sejam pra evoluir em grande escala, sempre consolidando e mantendo o Saints entre os melhores da liga independente da circunstâncias.

Temos muitos erros e muitos acertos, apontamos todos aqui, mas não dá pra negar que a organização New Orleans Saints posicionou-se para estar aonde está e se sobrevive sem Brees não é porque o jogador é tão facilmente substituível.

Brees vai se aposentar como um dos melhores de todos os tempos e muito dificilmente será superado como o maior jogador do Saints de todos os tempos, o time é outro com ele em campo, seu poder de decisão e inteligência são impares.

A questão é que o Saints se preparou mudando scouts, agregando técnicos, a mentalidade para poder ser forte durante um bom tempo, pode ser que dê errado e começaremos tudo outra vez, mas não dá pra negar que há um processo consistente e muitos méritos de toda a organização.

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.