Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!
Conhecendo nosso adversário: Chicago Bears

Conhecendo nosso adversário: Chicago Bears

Finalmente arrancando na temporada, o Saints não tem parada fácil e, nessa semana, vai em busca da quarta vitória consecutiva na temporada viajando até Illinois para enfrentar o Chicago Bears.

De maneira curiosa e que muita gente não sabe muito explicar como, o Chicago Bears frequenta o topo da NFC com 5 vitórias e apenas duas derrotas. A equipe começou muito bem o ano com três vitórias consecutivas: 27 a 23 fora de casa contra o Lions, 17 a 13 em casa contra o Giants e 30 a 26 em Atlanta contra o Falcons em mais uma famosa falconizada. Após esse jogo a equipe conheceu a primeira derrota quando perdeu por 19 a 11 para o Indianapolis Colts em Chicago jogando muito mal. Entretanto, quando muitos achavam que a equipe ia sentir a derrota, emendou duas vitórias contra a NFC Sul, 20 a 19 contra o Bucs em casa e 23 a 16 contra Carolina fora, até perder no último Monday Night Football fora de casa por 24 a 10 para o LA Rams.

Troca de QBs, viradas e seis jogos definidos por uma posse de bola, vamos entender melhor como funciona a equipe que está a um New Orleans Saints de varrer a NFC Sul em 2020.

ATAQUE

Nick Foles e Anthony Miller. Foto de: Todd Kirkland/Getty Images.

Sabe quando a pessoa tem uma notícia boa e uma ruim e você prefere escutar a boa primeiro? Então, é basicamente isso que estou fazendo com vocês falando primeiro sobre o ataque do Bears.

A franquia de Illinois tem como característica principal ao longo de sua história uma defesa bem forte e um ataque com problemas, e isso está bem evidenciado esse ano. A equipe é a 6ª pior da liga em pontos feitos por jogo com uma média de 19,7 e a 4ª pior em jardas totais por partida com a baixa média de 308 jardas por jogo. Na última offseason, uma contratação chegou para tentar mudar isso, o quarterback Nick Foles.

Mesmo começando a temporada insistindo em Mitchell Trubisky, todos sabiam que era questão de tempo até Foles tomar as rédeas desse ataque. O QB vencedor da NFL pelo Philadelphia Eagles assumiu a equipe durante a partida contra o Falcons e liderou a equipe para uma incrível virada, mesmo que méritos em viradas contra o Falcons sejam um pouco questionáveis (risos). Entretanto, desde então, Foles não tem bons números. É o penúltimo dentre os titulares da liga em médias de jardas por tentativa de passe com míseras 5,9, além de lançar 6 touchdowns e 6 interceptações e com um rating ruim de 77,6.

Apesar de não possuírem um dos melhores grupo de recebedores da liga, Foles não pode culpá-los pelo mau desempenho. O Bears conta com o top WR Allen Robinson, 9º em jardas totais na NFL com 544 além de 2 TDs. Além disso, o corpo de WR ainda conta com o bom novato Darnell Mooney, os jovens Anthony Miller (2 TDs) e Javon Wims, além de nosso velho conhecido Ted Ginn que possui cada vez menos espaço na equipe. Completando os recebedores, ainda temos o experiente TE ex-Saints Jimmy Graham que está voltando aos bons tempos e possui 234 jardas e 4 TDs, outros 2 TEs que também contribuem bem são Cole Kmet e Demetrius Harris.

Finalizando o jogo aéreo e já partindo pro terrestre, é interessante dizer que David Montgomery, RB titular do time, também é o 3º que mais recebe passes na equipe com 25 recepções. Essa função antes pertencia ao “joystick humano” Tarik Cohen, mas que infelizmente se lesionou e está fora da temporada. Com sua saída, coube ao WR/RB/KR Cordarrelle Patterson, questionável com uma lesão no quadril, assumir a posição de RB2. É bom destacar o jogo aéreo desses jogadores pois, correndo com a bola, Chicago tem a pior média da liga, com apenas 84,1 jardas terrestres totais por jogo, isso se evidencia quando Montgomery uma média baixa de apenas 3,7 jardas por tentativa, algo que pode ficar ainda pior contra a defesa do Saints que é conhecida por ser muito eficiente contra corredores.

Porém, os problemas aéreos e terrestres desta equipe estão muito ligados a esse último setor do ataque: a linha ofensiva. Crucial para o funcionamento do ataque, a OL da franquia sofre muito para abrir espaços para o jogo terrestre e é só a 16ª melhor da liga em sacks cedidos por jogo com média de 2.1 por partida. No entanto, muita dessa dificuldade pode estar relacionada aos problemas de lesões da linha. O center titular, Cody Whitehair, por exemplo, não treinou esta semana com uma lesão na panturrilha e deve desfalcar a equipe nesse domingo.

DEFESA

Khalil Mack e Eddie Jackson. Foto de: Robin Alam/Icon Sportswire via Getty Images.

Chegou a hora da notícia ruim, mas não se desesperem, ao longo do texto vão perceber que pode nem ser tão ruim assim.

Brincadeiras à parte, a defesa de Chicago é realmente boa, estatisticamente falando, é a 3ª melhor na NFC e a 7ª melhor da liga em pontos cedidos por jogo com uma média de apenas 20, além de ser a 10ª em jardas cedidas por partida com uma média de 342 jardas por jogo, números que já foram melhores mas vale dizer que é inflacionado por conta do ataque que mal consegue parar em campo, digo isso para defender minha ideia exposta no We Dat Podcast #55 falando que a defesa do Bears é a melhor da NFC.

Começando a analisar essa defesa, temos a lei do ex nos ameaçando duplamente logo na linha defensiva, o ótimo jogador Akiem Hicks (3,5 sacks), draftado pelo Saints é o principal DT da equipe, que ainda conta com outro DL ex-Saints, Mario Edwards Jr (1 sack). A linha ainda conta com Roy Robertson-Harris, Brett Urban (1 sack) e o bom NT Bilal Nichols, dono de 1 sack e meio essa temporada.

Entrando no grupo de linebackers, o corpo mais talentoso dessa defesa, temos três jogadores classificados como OLB (outside linebacker) mas que costumam atuar na beirada da linha, os famosos edges. E é nesse momento que surge o cara mais importante dessa defesa, Khalil Mack. O jogador extraordinário é responsável por 5 sacks e meio na temporada, 5ª melhor marca da liga, e promete não dar sossego a nossa OL caso jogar. Sim, lembra o que falei da notícia não tão ruim? Mack pode ser um desfalque visto que perdeu dois treinos da semana devido à uma lesão no tornozelo. A atuação de Mack até ofusca outros dois jogadores que dividem espaço com ele, o experiente Robert Quinn (1 sack) e o ex-Bengals Barkevious Mingo, dono de 1 sack e meio na temporada.

Chegando aos linebackers em si e, completando o front seven, temos o talentosíssimo Roquan Smith, líder em tackles da equipe com 60 e o experiente e também muito bom Danny Trevathan, dono de 41 tackles na temporada. Apesar do talento, o ponto fraco dessa defesa é a cobertura do jogo terrestre, outra coisa que casa com o jogo do Saints deixando a notícia não tão ruim, visto que é a 16ª na liga cedendo uma média de 119,9 jardas terrestres por jogo.

Fechando a defesa, chegamos a uma secundária muito talentosa, que conta com o ótimo Kyle Fuller (1 INT) como CB1, além do novato sensação Jaylon Johnson como CB2 e Buster Skrine fechando os cornerbacks mais usados. Dentre os safeties, o experiente Tashaun Gipson Sr. é o líder em interceptações da equipe com duas, Eddie Jackson dispensa comentários como um dos melhores safeties da liga e possui 41 tackles, além de Deon Bush e DeAndre Houston-Carson que possuem uma interceptação cada na temporada. Essa secundária é responsável por ser a 8ª melhor da liga em cobertura de passes, cedendo apenas 222,1 jardas aéreas por jogo de média.

TIME DE ESPECIALISTAS
Pat O’Donnell e Cairo Santos. Foto de: Jonathan Daniel/Getty Images.

Um pouco de ufanismo chegando aos especialistas, pois o kicker de Chicago é ninguém menos que o brasileiro Cairo Santos, que vem em ótima fase e foi até o jogador de Special Teams da NFC na semana 6 após acertar um chute de 55 jardas. A boa fase de Cairão te dá liberdade para secar o kicker que dificilmente perderá o emprego mesmo se for mal na partida de domingo. Completando os especialistas, o experiente Pat O’Donnell é o punter, Cordarrelle Patterson cuida do retorno de kickoffs e Ted Ginn Jr do retorno de punts. Essas duas últimas posições podem mudar, pois Patterson pode não jogar e o ex-Raiders Dwayne Harris chegou ao Bears essa semana e é conhecido por ser um ótimo retornador, podendo roubar o lugar do medroso Ted Ginn.

Enfim, mais uma vez, espere emoção caro torcedor, um jogo truncado e que pode não sair muitos pontos, mas o Saints possui totais condições de vencer a partida que irá ocorrer às 18h25, horário de Brasília, com transmissão da Fox Sports para o Brasil, diretamente do Soldier Field, em Chicago com um friozinho não muito agradável.

Imagem destacada: Bear Goggles on

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.