Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!

Conhecendo nosso adversário: Philadelphia Eagles

Conforme a temporada vai avançando, as expectativas sobre cada time na liga vão se ajustando conforme seu desempenho em campo. Passada a primeira metade da temporada, podemos dizer que o New Orleans Saints é um time que, aparentemente, tende a competir por uma posição de Wild Card na NFC.

Dito isso, está na hora de também começarmos a olhar para as equipes que tendem a competir com o Saints por essas vagas e, uma delas, é o nosso adversário desta semana, o Philadelphia Eagles. Ou seja, independentemente de como está o desempenho dos times em campo, esse é o conhecido no futebol como “jogo de seis pontos”, uma partida em que se é importante vencer a qualquer custo.

Assim como o Saints, o Eagles de 2021 é um time muito inconsistente, algo refletido no recorde de quatro vitórias e seis derrotas na temporada. Vencendo Falcons, Panthers, Lions e Broncos, e perdendo para Niners, Cowboys, Chiefs, Bucs, Raiders e Chargers. Esta campanha equilibrada tem uma peculiaridade, na temporada, foram cinco jogos em casa e cinco fora, a equipe venceu 4 dos 5 fora de casa, e perdeu TODOS em jogos na Philadelphia até o momento. A boa notícia? O jogo deste domingo é na casa das águias.

A parte ruim disto é que, mesmo com esse recorde em casa, sabe-se que não é nada difícil jogar em um estádio aberto e com a torcida em cima, isto dificulta principalmente os chutes e o jogo aéreo, o que, pasmem, são os principais problemas do Saints atualmente. Deixando nossa tristeza recente de lado, bora conhecer melhor nosso adversário, e entender o que podemos esperar dese duelo.

ATAQUE

Jalen Hurts e Devonta Smith. Foto de: Kevin C. Cox/Getty Images

Com um ataque que está mostrando evolução semana a semana nos últimos jogos, o Eagles é o dono da 11ª posição no quesito pontuação na liga, com uma média de 25,7 pontos por jogo. Em jardas, a situação piora um pouco, e a equipe é a 16ª na NFL com 350 jardas acumuladas em média em cada confronto.

Quem tem uma memória relativamente boa vai lembrar do confronto entre Saints e Eagles na temporada passada, que foi marcado pela consagração do até então novato QB Jalen Hurts, que destruiu a gente no confronto. Uma temporada depois, mesmo com altos e baixos, Hurts se firmou como titular da equipe, e está fazendo uma temporada consistente para um segundanista que entrou tão contestado na liga. Ele, apesar de ser o 19º QB com mais jardas aéreas na liga, completa 62% dos passes para até agora 13 TDs e apenas 5 INTs, em um rating interessante de 91,9. O diferencial de Hurts, obviamente, é sua mobilidade, e o QB já correu para 549 jardas e 5 TDs na temporada. Apesar disso, trabalhar bem no pocket é algo importante para qualquer quarterback na liga, e Jalen têm tentado melhorar nisso no decorrer da temporada e, em muitos momentos, conseguido.

Evoluindo para o jogo terrestre, este foi um problema crônico da equipe e que, há um tempo, está apostando em um mix de jogadores para tentar fazer a posição fluir. O problema fica um pouco pior quando a equipe não conta com seu principal nome na posição, Miles Sanders, mas, para compensar, além de Hurts correndo com a bola, a equipe conta com o físico e experiente RB Jordan Howard, além dos ágeis Boston Scott e Kenneth Gainwell, sendo este último uma surpresa na temporada até certo momento, que poderia ter despontado com a lesão de Sanders, mas acabou por dividir e até perder espaço para os outros dois já citados. Essa peculiar divisão, juntamente a Hurts, no entanto, contribui para a que o Eagles seja a terceira equipe que melhor corre com a bola na temporada, com mais de 144 jardas por partida. Ou seja, limitar o jogo terrestre é essencial para ter chances no jogo.

O jogo aéreo da equipe, por sua vez, é outra parte do ataque em que visam uma melhora, e investiram a escolha de primeiro round do último draft no WR Devonta Smith, que está crescendo de produção nos últimos jogos e mostrando a que veio. Na última partida, ele recebeu para 66 jardas e dois touchdowns, enquanto, neste mesmo jogo, a segunda melhor arma aérea desta equipe, o TE Dallas Goedert que teve seu contrato renovado por 5 anos essa semana, acabou sofrendo uma concussão e tem um status ainda incerto para a partida de domingo. Além dos dois, Quez Watkins e Jalen Reagor são os mais acionados, com espaço ainda para Greg Ward e o TE reserva Jack Stoll.

A linha ofensiva do Eagles conta com o veterano e experiente center Jason Kelce como líder, mas, no geral, conta com alguns jogadores improvisados e faz um trabalho no máximo regular protegendo o QB, algo que muitas vezes é maquiado pela mobilidade de Hurts. Conter o QB no pocket pode ser interessante para o Saints possuir vantagem deste lado da bola.

DEFESA

Darius Slay retornando interceptação. Foto de: David Maialetti/Staff Photographer.

Se, mesmo funcionando bem, o ataque do Eagles foi alvo de algumas críticas nessa matéria, a defesa da equipe da Philadelphia não faz merecer muitos elogios, sendo talvez a unidade mais criticada da equipe. Estatisticamente, a equipe cede 23,1 pontos por jogo, 14ª marca da liga, posição que também é a mesma no quesito jardas cedidas, com uma média de 350,6 por jogo. Ou seja, apesar das críticas, a defesa não chega a comprometer, apesar de não ajudar em muito também.

Mesmo dinamitado com um jogo de seis sacks conta o fraco Lions, a linha defensiva do Eagles, no geral, não é das melhores pressionando o QB na liga, salientando ainda assim uma melhora nos últimos jogos. No geral, como dito, é apenas a 27ª da NFL em sacks por jogo, e tem como principal nome na temporada o DT Javon Hargrave (6 sacks). Além dele, Josh Sweat também está fazendo um bom trabalho na temporada. A decepção, no entanto, parece ser 90% em Derek Barnett, uma escolha de primeira rodada que se mostra cada vez mais um bust, e os outros 10% divididos nos veteranos consagrados Fletcher Cox e Ryan Kerrigan, que não trazem o rendimento esperado.

Completando o front seven, temos o grupo de linebackers como a posição mais frágil da defesa, fazendo com que o jogo terrestre e os passes curtos/médios do Saints seja talvez a chave para o ataque fluir em campo. A equipe conta com T.J. Edwards como principal LB, além de Davion Taylor como companheiro, e alguns snaps para Genard Avery e Alex Singleton, com este último perdendo muitos snaps para Davion Taylor nos últimos jogos, apesar de ser o líder em tackles do time. Taylor tem crescido jogo a jogo, e forçou dois fumbles contra o Broncos no último domingo. Em números gerais, a equipe é a 20ª na liga em jardas terrestres cedidas por confronto, com uma média de 117,3.

O ponto de maior confiança dessa defesa tende a ser a cobertura do jogo aéreo, no qual a equipe é top 15 da liga em jardas aéreas cedidas por jogo. A secundária conta com quem deve ser o principal nome defensivo da equipe na temporada, o CB Darius Slay, que possui duas INTs e dois fumbles recuperados na temporada, além de 38 tackles. Junto com Slay, Avonte Maddox no Nickel e Steve Nelson no lado oposto a Slay fazem um belo trabalho, e os safeties Anthony Harris e Rodney McLeod também são bons nomes que podem complicar ainda mais o já enfraquecido jogo aéreo do New Orleans Saints.

TIME DE ESPECIALISTAS

Jake Elliott. Foto de: The Eagles Wire.

Fiquem de olho, este time de especialistas do Eagles pode ser um pouco engraçadinho, costumam ser bem físicos e acabam por conseguir algumas graçolas às vezes, como um punt bloqueado. Os nomes principais são o kicker com uma perna invejável e que está em boa temporada Jake Elliott, os punt ficam na conta de Arryn Siposs, e os retornos são feitos pelos velozes Jalen Reagor e Quez Watkins, que ainda não despontaram com ótimos retornos, mas podem causar estrago em campo aberto.

Imagem Destacada: Sportskeeda.com

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.