Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!
Crônicas em Preto e Dourado: Escreva Seu Texto Aqui

Crônicas em Preto e Dourado: Escreva Seu Texto Aqui

Sento em frente ao computador, abro o editor de texto e olho para o cursor que pisca de forma intermitente.

E pisca.

Pisca.

Pisca mais um pouco.

O cursor continua a piscar enquanto continuo a olhar fixamente pra ele, o olhar vazio de quem não sabe bem o que pretende fazer (como o Anzalone), ou de alguém que precisa de mais algumas horas de sono. “Ah, sério, não consigo”, digo pra mim mesmo baixinho.

– Consegue sim, se esforça aí mais um pouco – respondo eu mesmo.

– Há dias estou tentando escrever um Crônicas novo, mas esse time simplesmente me tira a vontade de tudo.

– Ah, mas você estava lá, vendo o jogo! Esperou o field goal do Badgley, inclusive! Prorrogação e tudo mais! Vontade não faltou!

– Você é cruel.

– Somos.

– Porém, não é vontade, não: é paixão. Esta droga deixa a gente idiota. Como o Marcus Williams.

– Então escreva com paixão.

– Ah, se eu fizer isso… Vão ser tantos impropérios que o corretor ortográfico vai pipocar na tela e dizer  “calma, meu amigo, respira”. Sério, esse time do Sean Payton me irrita.

– Já não é mais o “gênio” de antigamente, mesmo. Taí, por que a gente não escreve uma história em que o Sean Payton é um cientista renomado, mas que começa a ficar obsessivo por prêmios e com isso sua genialidade se torna loucura?

– Hmm, gostei! Olha, você até que tem umas boas ideias de vez em…

– SEAN PAYTON COLOCANDO TAYSOM HILL DE QB NUMA TERCEIRA DESCIDA CURTA!!!!!

– NÃO, CÉREBRO, POR QUE VOCÊ FEZ ISSO?!

– Então, tudo começa com um conjunto de sinapses numa região chamada…

– Chega! Chega, chega, chega. Quando eu estava quase conseguindo me livrar desse sentimento ruim que esse jogo me proporcionou você me tira essa lembrança do nada!

Levanto. Bebo um copo d’água, olho o celular por alguns minutos. Volto para a frente do computador. O cursor continua lá, piscando. Respiro profundamente, desanimado.

– Ei, ei, que energia negativa é essa? Olha, por que não focamos nos pontos positivos: Sanders com mais de 100 jardas, Callaway se destacando, linha defensiva excelente e o nosso pezinho de ouro, Will Lutz!

– Sim, tivemos coisas boas ali. O touchdown do Cook. O tackle no finalzinho do Lattimore. E aquela bola do Kamara simplesmente fantástica, ela fica quicando na mão dele e…

– DREW BREES INTERCEPTADOOOOOO!!!

– Sério, qual é o seu problema???

– Nosso problema. Pergunta pra sua terapeuta.

– Ela não torce para o Saints, ela nem acompanha a NFL, na verdade. Ela não pode me ajudar.

– Na verdade, ninguém pode. É como a gente disse, é paixão, é algo que extrapola a racionalidade, por mais que se saiba que tudo pode dar muito errado, continuamos torcendo. A única saída é aceitar que seja o que for, vai ser com angústia mesmo.

–  Aí eu não vou aguentar. Eu acho – e espero – que o Saints continue evoluindo, continue corrigindo seus erros principais, que o time possa ser mais sólido, mais regular.

– Tá vendo, já tá melhorando.

– Tem o retorno do Michael Thomas também, isso vai melhorar este ataque com certeza.

– “Com certeza”, não. Você não entendeu nada, né?

Nós não entendemos.

Nós queremos saber se este texto vai sair ou vai ficar em cima do muro como o Lattimore.

– Sabe o que eu acho? Que esse texto já está pronto…

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.