Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!
Dennis Allen concede entrevista após derrota para o Lions

Dennis Allen concede entrevista após derrota para o Lions

O que foi dito por Dennis Allen após a derrota do New Orleans Saints na semana 13 para o Detroit Lions.

Declaração Inicial:

“Não estou feliz com a derrota, mas vi coisas encorajadoras. Levamos um golpe logo no início deste jogo, e achei que nossos jogadores lutaram e revidaram. Obviamente, entendemos que não há prêmios de consolação em nossa liga. Vamos aceitar a derrota. Vamos assumi-la, mas vi muitas coisas encorajadoras no jogo. Obviamente, ainda precisamos jogar melhor.”

Sobre se há precedentes para colocar Derek Carr na reserva devido a lesões:

“Acho que ambas são situações totalmente diferentes. São situações completamente diferentes. Não vamos entrar no que fizemos no ano passado e no que estamos fazendo este ano, certo? Olha, Derek está no protocolo de concussão agora. Vamos avaliar isso conforme avançamos.”

Sobre se a concussão de Carr é potencialmente grave:

“Eu não sei. (Carr) está sendo avaliado por algumas coisas diferentes, mas está no protocolo de concussão. Olha, não quis interromper sua pergunta, mas, obviamente, com lesões, você certamente tem que prestar atenção nisso. Não estou entrando no negócio de comparar coisas de um ano para o outro.”

Sobre a preocupação crescente com Carr estar no protocolo de concussão pela segunda vez nesta temporada:

“Sempre que você tem uma concussão, é preocupante. Há preocupação com algumas das lesões que (Carr) sofreu. Assim como fazemos sempre, vamos avaliar como ele está fisicamente. Então, vamos a partir daí.”

Sobre a dificuldade da atmosfera com os torcedores dos Lions:

“Como não? Foi perceptível, e é nosso trabalho mudar isso. Fiquei orgulhoso da maneira como nossos jogadores lutaram, voltaram para o jogo e nos deram uma verdadeira oportunidade. No final, simplesmente não conseguimos.”

Sobre o déficit inicial:

“Você tem que dar crédito a esses caras, certo? Eles são uma boa equipe. Eles são o segundo melhor ataque da liga. Eles levaram a bola direto pelo campo na primeira jogada. Perdemos um tackle em uma corrida, o que criou uma jogada explosiva, e eles marcaram um touchdown. Com as costas contra a parede, devolvemos a bola e eles conseguiram marcar outro touchdown. Agora, de repente, você começa o jogo perdendo por 14-0. Não começamos bem. Lutamos de volta. Arranhamos e lutamos para nos colocarmos de volta na partida. Vamos continuar lutando e continuar trabalhando. Eu disse à equipe: ‘Olhem, eventualmente vamos superar isso’.”

Sobre se o desempenho de Derek Carr foi motivado pela atmosfera:

“Eu não seria capaz de responder a essa pergunta. Obviamente, todos nós temos orgulho. Todos nós somos competitivos e queremos performar. Achei que depois que ele se estabilizou um pouco, houve um momento em que ele jogou muito, muito bem. Foi lamentável que ele tenha se machucado.”

Sobre se a identidade da equipe se mostrou ao longo do jogo:

“Sim, nossos caras lutaram. Não fomos perfeitos. Não gostei da execução no início. Achei que melhorou conforme o jogo avançava. Vi jogadas explosivas pelo campo, que achei que poderíamos potencialmente criar. Vi algumas coisas que gostei, mas há algumas jogadas que acabam custando o jogo. Essas são as jogadas que temos que eliminar.”

Sobre a dificuldade em marcar Sam LaPorta:

“(LaPorta) é um bom jogador. Eles têm muitas armas boas. Houve momentos em que tomamos a decisão consciente de tirar Amon-Ra St. Brown do jogo, e quando você faz isso e dedica mais recursos a isso, abre algumas outras áreas. Ele é um bom jogador. Eles têm um bom ataque. Eles movimentam a bola bastante. Esse foi provavelmente o grande motivo – dedicamos alguns recursos em outras áreas.”

Sobre a confiança da equipe após outra derrota em um jogo por uma diferença de um touchdown:

“Não acho que haja algo minando a confiança da equipe agora. Vamos continuar o trabalho. É a única coisa que se pode fazer nesta liga. Vamos deixar as críticas para todos fora do prédio. Vamos focar no que temos que fazer para tentar melhorar nessas áreas, para eventualmente superar e vencer alguns desses jogos por uma diferença pequena, como você está falando. Estamos perto, e só precisamos continuar trabalhando.”

Sobre o fumble dos Saints no início do quarto quarto:

“Pela imagem que vi, parece que quando Derek (Carr) estava saindo para passar a bola e James Hurst estava se movendo, parece que ele acertou a bola.”

Sobre ignorar o ruído externo:

“Nada positivo vem de ser negativo. Obviamente, você precisa corrigir o que precisa ser corrigido. Depois, você tem que tentar enfatizar o positivo e minimizar o negativo. É isso que você tem que fazer. Continuamos lutando, e eventualmente a situação virará para o nosso lado. Fazemos a jogada no final do jogo que nos dá a oportunidade de vencer. Então, ganhamos confiança a partir daí. É onde estamos como equipe de futebol.”

Sobre as lições positivas:

“Acho que nossos caras simplesmente perceberam que você tem que continuar lutando. Você realmente tem duas escolhas quando está nessa situação. Pode escolher o caminho mais fácil e desistir, erguer a bandeira branca com uma mentalidade perdedora, ou pode continuar lutando. Nossos caras escolheram continuar lutando. Olha, lutamos de volta e nos demos uma chance de vencer contra uma equipe de futebol muito boa. Não conseguimos.”

Sobre a mensagem no intervalo:

“Exatamente essa mensagem. Continuem lutando.”

Sobre se a última jogada de Detroit o surpreendeu:

“Não, não. Isso tem sido algo que eles estavam prontos para fazer nessas situações. Você está em uma situação em que não pode deixá-los correr, mas eles podem pegar a bola na linha de scrimmage e lançá-la. Eles fizeram uma jogada nessa situação específica.”

Sobre a estratégia com Derek Carr e Taysom Hill:

“Acredito que sempre fez parte do plano utilizar Taysom (Hill) em algumas dessas jogadas. Depois, acho que, à medida que o jogo fluía, especialmente no início, achei que tivemos algum sucesso com algumas coisas que estávamos fazendo com Taysom. Provavelmente o utilizamos um pouco mais. Achei que tivemos uma grande oportunidade com uma big play no fim do campo com Taysom como quarterback também.”

Sobre se é uma decisão difícil escolher Jameis Winston em vez de Taysom Hill como o quarterback reserva:

“Nosso plano sempre foi se algo acontecesse com Derek (Carr), Jameis (Winston) é o quarterback, e usaremos Taysom (Hill) no mesmo papel em que sempre o utilizamos.”

Sobre se o cenário do quarterback permanece o mesmo para a próxima semana:

“Isso é algo que vamos analisar.”

Traduzido de: neworleanssaints.com

Traduzido por: Jéssica Laíse

Imagem de capa: New Orleans Saints head coach Dennis Allen speaks to reporters after an NFL football game in New Orleans, Sunday, Dec. 3, 2023. The Lions won 33-28. Gerald Herbert – staff, ASSOCIATED PRESS

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.