Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!

PÓS-JOGO: 27×13 vs. Ravens – Haja ruindade

O Monday Night Football foi tenebroso. Mesmo jogo sendo em New Orleans, os Saints foram amassados durante todo o jogo e tiveram expostas várias fragilidades.

“Claro, uma derrota muito desapontante, mas você deve dar crédito a eles também”, começou o técnico Dennis Allen. “Eles tiveram um bom plano de jogo contra nós. Fizeram tudo ficar mais difícil em todas as fases. Enfrentamos um bom time e eles foram melhores hoje a noite”.

Essa moleza é o que mais irrita. Saints foi um time dominado em todos os setores. O quarterback Andy Dalton não conseguiu lidar com a pressão, o time de especialistas não conseguia acertar muita coisa e a defesa, altamente exposta pelos outros setores, teve sérias dificuldades tanto com jogo corrido quanto aéreo.

Mas para Dennis Allen tudo está bem. Foi apenas mais uma partida fora da curva. Mas ora, se a curva está para baixo, jogos ruins são a curva e não o contrário. Fora da curva foi o atropelamento em cima do Las Vegas Raiders.

Agora, Allen diz que o principal problema foi não encaixar o jogo corrido, o que deu muito tempo de posse de bola para o Baltimore Ravens. Ele não cita, por exemplo, a falta de criatividade nas chamadas, não admite problema em ter usado pouco Taysom Hill em situações de poucas jardas e nem critica a atuação de Andy Dalton.

“Não, eu não penso (em mudar o quarterback). Tivemos várias coisas que não foram boas ofensivamente. É bem mais do que isso”.

Eu chego quase a concordar com ele. Dalton é o símbolo da mediocridade. Winston pode até ser um pouco melhor, mas não será muito mais do que mediano também. Nestes casos, se você não tiver um time executando tudo perfeitamente ao redor, o quarterback não vai salvar. Mas as mudanças devem começar em algum ponto.

“Penso que nas últimas cinco semanas, ele (Dalton) esteve bem em mover a bola com eficiência. Não foi um bom jogo essa noite. Então, vamos avaliar como seguiremos, mas eu vejo hoje como um dia ruim no trabalho apenas. Precisamos melhorar”.

O problema é que a melhora não vem. Estamos na metade da temporada e somos o sexto pior time da liga. Podemos culpar lesões, podemos culpar tabela, podemos falar de situações individuais, de treinadores. Mas a verdade é que o time é limitado demais para vencer quando comete algum erro. A margem para vitória é muito curta e não há muito o que fazer. Talvez o retorno de Marshon Lattimore e Jarvis Landry ajude? Possivelmente. O suficiente para um esforço que leve a vencer a fraca divisão? Improvável.

“Você precisa olhar para este jogo e ver em quais áreas você precisa melhorar, corrigir…” disse Andy Dalton. “Todo mundo teve culpa hoje. Então, precisamos ver as mudanças que precisamos fazer. Precisamos melhorar rapidamente. Temos uma semana curta”.

A tendência é que Landry volte para o próximo jogo, fora de casa, contra o Pittsburg Steelers. Deve ajudar a aliviar a pressão em Chris Olave. Mas por outro lado, o linebacker Pete Werner e o center Eric McCoy saíram machucados e ainda não tiveram suas situações divulgadas. A lesão deles pode deixar a margem para vitória ainda mais curta. Se é que ela vai existir.

As casas de apostas colocam o Saints como favorito. Eu discordo delas. Neste momento, o time de New Orleans não pode ser considerado favorito contra ninguém até que a bola voe. Até porque será difícil acreditar em grandes mudanças. E como diz o ditado: Faça as mesmas coisas e você terá os mesmos resultados.

Please follow and like us:

0 thoughts on “PÓS-JOGO: 27×13 vs. Ravens – Haja ruindade

  1. A grande verdade é que o time é até ok mas sem um QB de qualidade e sem um HC bom (Dennis Allen não devia nunca ter virado HC ainda mais com o recorde que ele tinha como HC dos raiders) não tem como.
    A gente consegue estar pior que o Falcons, isso é revoltante.
    E nem da pra falar que estamos perdendo pra subir no draft e pegar um QB da classe promissora pq nem 1st pick a gente tem.

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.