Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!

Conhecendo nosso adversário: Tampa Bay Buccaneers

Depois de cinco semanas, o New Orleans Saints volta a encarar um rival de divisão. Dessa vez, depois de muito tempo, a equipe se encontra como azarão em uma partida contra um adversário da NFC Sul, isso porque, como já devem ter percebido, o adversário da vez é o atual campeão Tampa Bay Buccaneers.

A franquia da Flórida, responsável por frustrar as expectativas de título do Saints ano passado, chega na semana 8 da NFL com um recorde de seis vitórias e uma derrota, campanha digna de quem veio para a temporada defender o título. As vitórias vieram contra Cowboys, Falcons, Patriots, Dolphins, Eagles e Bears, enquanto a única derrota aconteceu fora de casa diante do forte Los Angeles Rams.

Sobre o time em si, o Bucs manteve grande parte do elenco campeão do Super Bowl LV, ou seja, um ataque vertical com ótimas armas, e uma defesa explosiva e muito física. Entretanto, o time deste ano ainda deixa a desejar em alguns aspectos comparados com o plantel do ano anterior, vamos entender isso mais afundo.

ATAQUE

Mike Evans e Tom Brady. Foto de: Brett Duke/Associated Press.

Como de praxe, estatisticamente falando, o Bucs tem o terceiro melhor ataque da liga em pontos feitos por confronto com uma média de 33,3. Quanto à jardas, a equipe ocupa a segunda colocação com 423,4 jardas totais de média por jogo, mostrando que o ataque segue perigosíssimo.

Obviamente o principal responsável para esse time ser uma máquina ofensiva é a lenda viva que a franquia possui na posição de quarterback: Tom Brady. O QB está fazendo uma temporada digna de MVP, seus números são incríveis. Líder em jardas por partida com a média de 325, além de 21 TDs e apenas 3 interceptações na temporada, completando 67% dos passes e tendo um rating de 108,2.

Na última temporada, Fournette foi contratado pelo Bucs e, durante boa parte da temporada, não mostrou a que veio. Entretanto, esse ano o jogador está relembrando seus tempos de sucesso, com médias de 4,4 jardas por carregada e 4 TDs, além de 635 jardas totais. Quem foi bem temporada passada, mas este ano é um legítimo reserva é Ronald Jones, e Giovani Bernard tem feito seu papel como um RB recebendo passes. Isto lembrando é claro que o carro chefe da franquia de Tampa é o jogo aéreo.

Chegando aos recebedores de fato, a equipe conta com um incontestável trio de WRs em Chris Godwin (520 jardas), Mike Evans (7 TDS) e Antonio Brown (fora), além de outros coadjuvantes como Tyler Johnson e Scotty Miller. A equipe também conta com o bom trio de TEs em Rob Gronkowski que deve voltar de lesão, O.J. Howard (Q) e Cameron Brate.

Ou seja, serão matchups muito difíceis para a talentosa defesa do Saints, que, além da clássica disputa Lattimore x Evans, ainda contará com várias batalhas cruciais, incluindo as linhas. A OL de Tampa é talvez a chave para New Orleans ter algum sucesso na partida. Não que ela seja ruim, muito pelo contrário, é a segunda da liga em sacks cedidos por jogo com a média de 1,3 por partida, mas a maior chance do Saints limitar este ataque é deixando Tom Brady desconfortável no pocket, tornando a batalha nas trincheiras o principal ponto a ser analisado quando a equipe da Flórida estiver no ataque.

DEFESA

Devin White e Lavonte David. Foto de: Dirk Shadd/Times.

Se existe uma unidade que está atuando abaixo do time campeão, é a defesa, mas, ainda assim, os números são bons. A equipe é a 10ª em pontos cedidos por partida com uma média de 21, e a 9ª em jardas, cedendo uma média de 332,1 por confronto.

Começando a análise pela linha defensiva, tem-se vários nomes conhecidos, pois os titulares da defesa estão todos de volta ao time. Ndamukong Suh, Vita Vea, Rakeem Nunez-Roches e William Gholston costumam dividir os snaps da parte mais interna da linha, enquanto a pressão costuma chegar bastante do lado exterior com principalmente Shaquil Barrett (5,5 sacks) e Jason Pierre-Paul, além de alguns snaps de Joe Tryon-Shoyinka e Anthony Nelson. Essa DL ajuda a equipe ser a 14ª que mais faz sacks na liga, uma média de 2,3 por confronto.

Além da linha defensiva, o grupo de linebackers que completa esse front seven fazem um trabalho incrível parando o jogo terrestre, pois a equipe é a líder em jardas cedidas pelo chão com apenas 67,4 de média, 13 jardas a menos que o 2º time melhor colocado no quesito. Os responsáveis por isso são principalmente a dupla Devin White (51 tackles) e Lavonte David, sendo que este último deve voltar em ação depois de duas semanas fora, na qual foi substituído por Kevin Minter. Alvin Kamara e o recém chegado Mark Ingram terão muito trabalho e dificilmente o Saints conseguirá estabelecer o jogo terrestre no confronto.

Se é que existe algum calcanhar de Aquiles nesta equipe, este é a secundária, o setor é o que mais tem deixado a desejar na equipe perante o ano passado, e é onde o Saints deve apostar suas fichas. Apenas o 23º em jardas aéreas cedidas por jogo, este grupo contou com Ross Cockrell e Jamal Dean de titulares, isso pois Carlton Davis está lesionado e Richard Sherman pode voltar de lesão no domingo, além destes jogadores, os cornerback Joe Delaney (Q) ganhou seu espaço com as lesões também. Chegando aos safeties, a equipe conta com o jovem talento Antoine Winfield Jr como titular, sendo companheiro de Jordan Whitehead, além de Mike Edwards (2 INT) também participar de snaps significativos.

TIME DE ESPECIALISTAS

Bradley Pinnion e Ryan Succop. Foto de: Heidi Fang/Las Vegas Review-Journal.

O líder da divisão conta com a experiente de kicker e punter com respectivamente Ryan Succop e Bradley Pinnion, enquanto os retornos estão na conta do jovem de 22 anos, Jaelon Darden, escolha de quarta rodada do último draft pelo Tampa Bay Buccaneers.

Como foi dito no início da análise, o New Orleans Saints entra como o famoso “underdog” na partida de domingo (31) às 17h25, horário de Brasília, com transmissão da ESPN, mesmo jogando em casa. Entretanto, com a volta de Mark Ingram e a rivalidade entre as duas equipes que foi incendiada na última temporada, faz com que se espere um Caesars Superdome ensurdecedor para Tom Brady e Cia tentarem trabalhar.

Imagem destacada: Mike Ehrmann/Getty Images.

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.