Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!
Conhecendo nosso adversário: Washington Football Team

Conhecendo nosso adversário: Washington Football Team

Acredito que cada vez mais a análise dos adversários vêm sendo importante para ir para os jogos do Saints com alguma noção do que esperar. Isso porque, do nosso time, o New Orleans Saints, nunca saberemos o que vai acontecer, qual time entrará em campo. Então, saber minimamente o que esperar do adversário, deve ajudar a não entrar totalmente perdido para acompanhar o jogo.

Indo para o assunto então, o adversário da semana 5 do New Orleans Saints é o Washington Football Team, equipe da NFC Leste que chega para o confronto também com o recorde de duas vitórias e duas derrotas. Na estreia da temporada, a equipe perdeu em casa para o LA Chargers por 20×16. Na semana 2, encarou o fresco em nossa mente NY Giants, e saiu vitorioso em um jogo maluco no TNF por 30×29. Na semana 3, a equipe viajou até Buffalo e foi atropelada pelo Bills por 43×21, mas se recuperou na semana passada vencendo o Atlanta Falcons fora de casa por 34×30.

Como deu pra se ver pelos resultados acima, a equipe possui a capacidade de ser muito efetiva no ataque, mas também possui uma grande fragilidade defensiva, uma realidade diferente da equipe que foi aos playoffs e deu trabalho para o Tampa Bay Buccaneers no Wild Card. Bora então analisar o que mudou e o que esperar deste nosso adversário.

ATAQUE

Terry McLaurin. Foto de: Patrick McDermott/Getty Images.

Contrariando as expectativas de muita gente, o ataque de Washington está rendendo muito bem. A equipe é a décima na liga em pontos feitos por jogo com uma média de 25,2 pontos por jogo. Em jardas, por sua vez, a equipe é apenas a vigésima em jardas totais por partida, com uma média de 342 por confronto.

A liderança desse ataque, após a lesão do QB designado para ser o titular da equipe Ryan Fitzpatrick, ficou na conta do carismático e surpreendente Taylor Heinicke. Carinhosamente apelidado de Heineken, o QB com um nome convidativo entrou em ação devido às lesões da equipe temporada passada e foi muito bem. Esta temporada, mais uma vez seu nome foi chamado de forma não natural, e mais uma vez o jogador segue surpreendendo. Obviamente ele possui suas fraquezas, dá passes ruins e tudo mais, entretanto, pelo que se era esperado, o jogador vale muito mais que a encomenda. Na temporada, Heinicke já lançou 8 touchdowns e 3 interceptações, completou quase 70% dos passes que tentou e possui um ótimo rating de 105,9.

Cabe linkar a boa atuação do QB com alvos confiáveis pelo ar. Para isso, a equipe conta com um Wide Receiver subestimado, que em um time mais badalado poderia facilmente ser considerado top 5 da liga, o incrível Terry McLaurin. Nesta temporada, o jogador já tem 354 jardas e 3 touchdowns, a batalha dele com Marshon Lattimore pode ser a mais interessante de todo o jogo. Além dele, o segundo principal alvo da equipe é o TE Logan Thomas, mas que se lesionou na semana passada e foi enviado para o Injured Reserve. Do mais, olhos no ótimo playmaker Curtis Samuel, mas que está voltando de lesão e tem status questionável para o jogo. Dos demais, Dyami Brown aparece um pouco porém, assim como o WR4 Cam Sims, estão fora do jogo por lesão, Ricky Seals-Jones e John Bates jogarão no lugar de Logan Thomas, e os corredores da equipe, já conectando com o parágrafo abaixo, são muito utilizando em jogadas de passe também, com J.D. McKissic e Antonio Gibson possuindo mais de 100 jardas aéreas cada na temporada.]

O jogo terrestre da equipe descobriu temporada passada ter em Antonio Gibson (Questionável) um nome muito confiável correndo com a bola, e o jogador está desempenhando uma boa função este ano novamente, tendo a boa média de 4,3 jardas por tentativa de corrida. Vale constar que o jogador teve uma lesão na costela no último jogo e está treinando limitado durante a semana. Como dito acima, o outro RB perigoso que é interessante ficar de olho é J.D. McKissic, que costuma ser uma ameaça recebendo bolas saindo do backfield.

Finalizando o ataque, a linha ofensiva de Washington vêm fazendo um trabalho surpreendente, jogando em alto nível, abrindo espaços para o jogo terrestre e cedendo uma média de apenas um sack por confronto, a segunda melhor marca da liga no quesito, mas que não vai contar com talvez seu principal nome, Brandon Scherff, fora com uma lesão no joelho. É bem importante tentar incomodar esta linha para manter a dianteira no confronto.

DEFESA

Chase Young e Jonathan Allen. Foto de: Jennifer Stewart/Associated Press.

Chegamos ao lado defensivo da bola, lugar no qual a equipe de Washington, apesar de ser possuir vários jogadores talentosos, está a fazer uma temporada muito inconsistente, sendo a terceira pior em pontos cedidos por jogo com uma média de 30,5 por confronto, e a quarta pior em jardas cedidas por confronto com uma média de 417,5.

Quando se olha nome a nome na defesa de Washington, a linha defensiva é a que mais enche os olhos, fez uma temporada passada incrível e possui 4 jogadores escolhidos na primeira rodada do Draft. Este grupo é composto pelo DROY Chase Young, Montez Sweat (3 sacks na temporada), Jonathan Allen (3 sacks na temporada) e Daron Payne (questionável). Este ano, no entanto, este grupo não está fazendo um bom trabalho pressionando o QB adversário, sendo apenas o 23º em sacks na temporada com uma média de 1,8 por jogo.

No front seven como um todo, o que de fato mostra também o que um grupo tão talentoso na linha faz, a equipe costuma conter bem o jogo terrestre, algo evidenciado pelo Nicholas, torcedor de Washington convidado para o We Dat Podcast desta semana, apesar de ocupar o 18º lugar em jardas terrestres cedidas por jogo, uma média de 118,5 por confronto, fruto de um trabalho ruim da defesa no geral. Sobre os linebackers que fecham estes sete, os titulares na posição são Jamin Davis, Cole Holcomb (líder em tackles do time com 41, mas questionável) e Jon Bostic, jogadores sem muito nome mas que costumam fazer um trabalho regular e terão muito trabalho contendo Alvin Kamara no jogo aéreo e terrestre.

Para fechar a defesa, chegamos ao ponto mais delicado deste grupo: a secundária. Esta unidade já havia sido um problema na temporada passada, então a franquia decidiu se reforçar trazendo os bons jogadores William Jackson e Bobby McCain, além de já contar com os renomados Kendall Fuller e Landon Collins como titulares. Porém, na prática ainda não fizeram efeito tais adições, a equipe é a 5ª pior da liga em jardas aéreas cedidas com 299 de média. Outros jogadores como Kamren Curl e Torry McTyer também são utilizados entre os defensive backs do time. Esta é uma partida em que lançar a bola é essencial, o ponto mais fraco da defesa do WFT é a secundária, oportunidade de ouro para esticar o campo e dar ritmo a Jameis Winston e seus recebedores.

TIME DE ESPECIALISTAS

Dustin Hopkins. Foto de: Justin K. Aller/Getty Images.

O time de especialistas da franquia conta com o conhecido kicker pela torcida do Saints, Dustin Hopkins, jogador que tem um bom potencial mas costuma não ser tão consistente, apesar de confiável. Os punts ficam por conta do experiente Tress Way, e os retornos de kickoffs e punts estão na conta de DeAndre Carter, jogador veloz que inclusive já teve um retorno de kickoff de 101 jardas para touchdown na temporada.

Como torcedor do Saints, podemos esperar mais um confronto de muitas emoções, predominante raiva, com um grande equilíbrio, em que as casas de apostas colocam o Saints com o favoritismo, apesar do confronto das 14 horas, horário de Brasília, acontecer no FedEx Field, em Landover, casa do Washington Football Team.

Imagem Destacada: Emilee Fails/Washington Football Team.

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.