Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!

Dennis Allen: “Não é hora de entrar em pânico”

Os Saints estão apenas um jogo atrás dos líderes da divisão

By John DeShazier | Tradução Leonardo Mendonça

O treinador principal dos Saints não estava ficando louco, vendo coisas, ou muito menos contando uma história que seria rejeitada até mesmo por Hollywood por ser muito fantasiosa e fora da realidade.

Dennis Allen estava simplesmente encarando a realidade na manhã de segunda-feira, e, chegando no jogo fora de casa de quinta-feira a noite contra Arizona no State Farm Stadium em Glendale, Arizona, a realidade do Saints é a seguinte:

Os Saints estão um jogo atrás dos líderes da divisão Tampa Bay e Atlanta, ambos 3-3, na NFC South. E das derrotas dos Saints, três foram por no máximo um touchdown de diferença – New Orleans teve a chance de empatar com Minnesota e forçar a prorrogação em uma tentativa de field goal de 61 jardas que acertou tanto a barra vertical quanto a horizontal da trave na partida terminada 28-25, uma chance de campanha para o touchdown da vitória com menos de dois minutos restantes contra Cincinnati em uma derrota por 30-26, e viu Carolina marcar um touchdown defensivo em uma derrota por 22-14.

É verdade, também, que ambas as vitórias do Saints também foram jogos com diferença de só uma posse de bola, 27-26 sobre Atlanta e 39-32 sobre Seattle, e no geral o New Orleans está 2-4, tendo perdido quatro de seus últimos cinco jogos. Mas entre os principais objetivos das equipes da NFL que entram em cada temporada, ganhar o título da divisão é o primeiro da lista, e ele permanece proeminente na lista de Nova Orleans.

“Estamos parados aqui a um jogo da nossa divisão”, disse Allen. “Então, não é hora de pânico. Esta é a liga em que estamos agora.”

“Mas, escute, a mensagem é apenas continue batalhando, continue trabalhando. Porque estamos criando oportunidades. Não fizemos jogadas suficientes para vencer esses jogos, mas tivemos oportunidades para vencer. Você precisa dar a si mesmo essa oportunidade se você espera ser capaz de vencer em algum momento. Então, nós só temos que fazer mais uma ou duas jogadas para virarmos essa maré de azar.”

No domingo contra o Cincinnati, os Saints não cometeram nenhum turnover e foram penalizados apenas quatro vezes, para 34 jardas.

As jogadas que deveriam ser convertidas foram na red zone – no ataque, New Orleans converteu apenas 1 de 5 tentativas para TD dentro da linha de 20 jardas de Cincinnati, e na defesa, o Saints não conseguiu forçar um field goal na red zone em três chances – e na defesa, tackles. No touchdown da vitória de Cincinnati, os defensores do New Orleans falharam duas vezes em derrubar o recebedor dos Bengals, Ja’Marr Chase, durante seu catch-and-run de 60 jardas.

“Não teremos uma grande chance de trabalhar nisso esta semana, mas não acho que ‘tackleamos‘ muito bem no jogo”, disse Allen. “Acho que é uma área que temos que melhorar. Vai ser muito importante neste jogo, pela forma como eles criam espaços no campo, então nossa capacidade de ‘tacklear‘ em campo aberto será importante neste jogo.

“A red zone tem sido uma área em que temos sido muito bons em ambos os lados da bola, não estávamos no jogo passado, então essa é uma área em que temos que ser melhores.

“Ofensivamente, achei que tínhamos um plano de jogo muito bom, achei que fomos eficazes com o plano de jogo. Sinto que perdemos algumas oportunidades e gostaria que tivéssemos sido melhores na red zone“.

Possivelmente, o que poderia ajudar nessa área seria o retorno do recebedor novato Chris Olave, que lidera a equipe em recepções (25) e jardas recebidas (389). Olave perdeu o jogo de domingo enquanto passava pelo protocolo de concussão da liga.

“Meu entendimento é que ele passou por todas as etapas”, disse Allen. “Porém ele tem que ser liberado pelo neurologista independente.”

ATUALIZAÇÃO DO QUARTERBACK: O quarterback Jameis Winston se recuperou o suficiente de lesões nas costas e no tornozelo para ser o quarterback nº 3 contra o Cincinnati, atrás de Andy Dalton e Taysom Hill, mas não o suficiente para voltar ao time titular. Dalton foi titular nos últimos três jogos e completou 63% de seus passes para 585 jardas e três touchdowns, com uma interceptação. New Orleans teve uma média de 30 pontos por jogo nos últimos três.

“Acho que a coisa número 1 é, vamos esperar Jameis ficar 100 por cento saudável”, disse Allen. “Ele estava saudável o suficiente para ser o terceiro quarterback de emergência neste jogo, e parte disso foi a fim de manipular o elenco para conseguir 48 jogadores no dia do jogo. Andy tem feito um bom trabalho enquanto esteve em campo. Produzimos e marcamos pontos. Vamos deixar Jameis ficar totalmente saudável e então veremos o que fazer.”

ATUALIZAÇÃO DE THOMAS: O wide receiver Michael Thomas perdeu os últimos três jogos devido a uma lesão no dedo do pé. Allen disse que havia a possibilidade de colocar Thomas na injured reserve, mas que a possibilidade de ele retornar antes de quatro jogos foi um fator decisivo.

“Esse é o problema que sempre passamos com essas decisões, porque não há bola de cristal que diga exatamente quando alguém estará saudável o suficiente para jogar”, disse Allen. “Mas normalmente é uma decisão muito difícil colocar um jogador desse calibre no I.R., mesmo que a previsão seja de que ele talvez só volte depois de quatro semanas. Você certamente não quer que um cara como esse perca um jogo se ele estiver saudável o suficiente para jogar.

“Você usa as informações que tem à sua frente e tenta tomar a melhor decisão possível. E essas não são decisões a prova de falhas.”

Traduzido de: neworleanssaints.com

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.