Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!
Pré-jogo: Coisas da vida

Pré-jogo: Coisas da vida

Muito foi pensado antes do início desta matéria para tentar iniciar o pré-jogo com uma boa analogia. Entretanto, talvez em uma linha de pensamento não tão positiva, venho comparando o New Orleans Saints com a vida. Sim, a vida. por horas triste e sofrida, por horas alegre, em sua grande maioria com grandes emoções e, acima de tudo, com a sensação de uma breve duração. Já chegamos a metade dessa temporada, e em breve essa nossa dose de New Orleans Saints vai diminuir por um determinado tempo. Diferente da vida, ela volta todo ano, é verdade, mas, como a distância machuca, podemos nos permitir viver com toda intensidade a vida do New Orleans Saints de 2023.

Uma frase muito famosa é a de que “a vida é feita de momentos”, e adivinhem, o New Orleans Saints também. Toda essa volta foi feita para dizer que, apesar de conturbado de modo geral, o momento do New Orleans Saints é o melhor em toda a temporada: o ataque iniciando um ritmo interessante, um esboço de uma sequência de vitórias e a liderança da divisão. Todos esses são sinais de que o momento do Saints é muito bom, e temos que aproveitar, pois como na vida, tudo pode mudar em questão de uma semana.

É com esse tom de positividade que a equipe de New Orleans chega para o confronto contra outra equipe em bom momento, o Minnesota Vikings. Momento ainda melhor que o do Saints, pois apesar de ambas as equipes possuírem o mesmo recorde (5-4), Minnesota chega embalado com 4 vitórias consecutivas, e conseguindo driblar muitas adversidades para a árdua tarefa de se manter em um bom momento.

A adversidade que o Vikings enfrentou/está enfrentando é uma das maiores que uma equipe pode ter NFL, perder seu principal líder, seu Franchise QB. Isso pode ser crucial para terminar as ambições em uma temporada, mas, pelo bom momento, o Vikings decidiu seguir lutando, e para substituir o lesionado Kirk Cousins, trouxe o cada vez mais consolidado na liga Joshua Dobbs. O resultado na primeira semana foi um sucesso, Dobbs liderou a equipe a uma vitória de virada contra o Atlanta Falcons, levando o ataque a 31 pontos e sendo escolhido o jogador da semana da NFC.

Danny Karnik/AP Photo.

Além da confiança, o ataque de Minnesota no geral traz muitos desafios para a defesa do New Orleans Saints. Pelo ar, a equipe conta com uma dupla muito potente de recebedores no WR novato Jordan Addison e o TE T.J. Hockenson, além dos bons coadjuvantes K.J. Osborn e Brandon Powell. Pelo chão, a equipe perdeu a arma de Cam Akers com uma lesão que o tirará da temporada, mas conta com um confiante Alexander Mattison e com um QB móvel, característica que costuma machucar muito a defesa do Saints e que terá de ser um ponto importante do gameplan para chegarmos a vitória, a capacidade de manter o Joshua Dobbs no pocket e segurar o ataque que é top 10 em jardas totais na liga.

Sentiram falta de alguém no ataque, eu sei. Isto porque, quem para muitos é o melhor recebedor da liga, merece um destaque a parte. O Saints não costuma ser muito amigo da sorte, e mais um passo nessa direção é o fato da recuperação recorde do All-Pro Justin Jefferson que está liberado para voltar a campo e já está listado como questionável para a partida. Se ele jogar, é o tipo de jogador que possui a capacidade de mudar a dinâmica de uma partida. Além dele, vale um parêntese de que T.J. Hockenson e K.J. Osborn também estão listados como questionáveis, importantes aspectos para ficar de olho antes da bola voar em Minneapolis.

Do outro lado, o Saints talvez nunca esteve tão bem municiado para enfrentar grandes recebedores. Isto porque, além do exímio Marshon Lattimore, as últimas semanas mostraram que o Saints pode ficar tranquilo no lado oposto ao CB1. Se eles possuem o jogador ofensivo da última semana, nós temos o jogador defensivo da última semana na NFC: Paulson Adebo. Dono de duas interceptações e um fumble forçado, o momento do cornerback do Saints não tem como ser melhor, e isso influencia a secundária como um todo, que conta com ótimas apresentações de Marcus Maye, Alontae Taylor e Tyrann Mathieu também não deixam a desejar.

Wesley Hitt/Getty Images.

Apesar do grande desafio do lado defensivo do Saints, o ataque vai enfrentar uma defesa que não é considerada das melhores da NFL e inclusive cedeu 28 pontos para Taylor Heinicke no último fim de semana. Bons e experientes jogadores compõem o elenco, como o DE Danielle Hunter, o LB Jordan Hicks, o CB Byron Murphy e o S Harrison Smith, além do destaque da temporada na defesa, o jovem Safety Camryn Bynum. Apesar de bons jogadores, a equipe possui estatísticas defensivas bem medianas, ocupando o 15º lugar em jardas cedidas e o 17º em pontos cedidos por partida.

Em busca do quarto jogo consecutivo rompendo a barreira dos 20 pontos no ataque, o Saints não vai contar com o RB novato Kendre Miller que não vai jogar devido a uma lesão no tornozelo. Ainda assim, o jogo terrestre comandado por Taysom Hill e Alvin Kamara não deve ter problemas, e é uma peça muito importante em busca da vitória fora de casa, visto que a química entre Derek Carr e os recebedores segue um trabalho em progresso. De qualquer forma, o bom jogo de Chris Olave e Juwan Johnson na última semana mostram que é possível sobreviver mesmo quando Rashid Shaheed e Michael Thomas estejam muito bem marcados.

Visto apenas a ausência de Kendre Miller e Isaiah Foskey, sequer foi necessário realizar uma arte para ilustrar o Injury Report dessa semana, e esse é outro aspecto no qual o Saints vive bom momento. Uma unanimidade para os torcedores de ambas as equipes é a torcida para não existirem novas lesões, o Vikings pela maré de azar quanto a isso, e o Saints pelo raro momento de sorte que permeia a Louisiana. Por ser um jogo antes da bye week, todos podem dar 110% em campo, visto uma semana a mais de descanso que é benéfica para todo mundo nessa altura do campeonato.

O Minnesota Vikings é definitivamente um adversário mais difícil que os dois últimos jogos, e conta com uma boa sequência que coloca a confiança da equipe lá no alto para receber o Saints. Isso significa que, mais do que nunca, teremos um teste à altura para o time do Saints em um bom momento, em um confronto que pode ser importante nas disputas de uma vaga nos Playoffs.

Além de tudo, Saints e Vikings possuem uma grande rivalidade “recente”, o jogo tende a ser quente, tendem a passar aquele vídeo do milagre daquele fatídico dia e teremos que assistir quietos. Então, nos resta torcer para que ao menos o Saints saia vitorioso nesse confronto que irá ocorrer às 15 horas, horário de Brasília, em Minneapolis, novamente sem transmissão na televisão brasileira.

Imagem destacada: Kirsty Wigglesworth/AP.

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.