Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!

Tyrann Mathieu: New Orleans, com os Saints é “aonde eu sempre quis estar”.

Um sonho. Uma jornada completa. Um capítulo de um livro, mágico, aonde o herói local faz seu retorno, triunfante, para aonde tudo começou.

Isso é exatamente o que Tyrann Mathieu queria. Ele jogando por New Orleans Saints e representando sua cidade, como um nativo do Seventh Ward e aluno de St. Augustine, em um contrato de três anos.

“Desde o comecinho, eu sabia aonde eu queria estar”, disse Mathieu. “Eu estava manifestando isso por um tempo já.”

Voltar pra casa nem sempre foi a melhor coisa, ele admitiu.

Dez anos atrás, como MVP do campeonato da SEC e finalista do Troféu Heisman, Mathieu foi dispensado do time de LSU por uma violação de regras do time e, subsequentemente, admitido num programa de reabilitação em Houston.

“Quando eu era um jovem de 20 anos, foi importante para mim me remover de certas coisas, certos lugares, para que eu conseguisse trabalhar em mim mesmo e chegar num determinado ponto aonde pudesse voltar pra casa e ser responsável, e ser a pessoa que sei que posso ser”, Mathieu disse na quarta-feira. “Tenho excelentes pessoas me apoiando, com quem posso contar, então sem essas pessoas e sem o meu próprio comprometimento em tentar fazer isso da maneira certa, essa oportunidade nem estaria a minha frente.”

Agora, Mathieu – que completa 30 anos na próxima semana – espera que essa seja sua última parada.

“Você disse que 30 anos é velho. Eu só estou esquentando, cara”, Mathieu disse. “É um contrato de três anos, e espero cumpri-lo integralmente e, se tudo der certo, conseguir um pouco mais de tempo.”

Em seu novo contrato de três anos, valendo US$33 milhões, com US$18 milhões garantidos, ele entra em sua décima temporada na NFL, depois de ter jogado pelo Arizona Cardinals (2013-17), Houston Texans (2018) e Kansas City Chiefs (2019-21).

O “Texugo do Mel” (Honey Badger em inglês) está apresentando o seu melhor futebol, ganhando honras consecutivas do Pro Bowl nas últimas duas temporadas e esteve consecutivamente no All-Pro Team consecutivo em 2019 e 2020.

Em 2021, Mathieu liderou os Chiefs com três interceptações, e três fumbles recuperados, e ele foi o segundo em tackles, com 76.

Apesar de seu sucesso no time, Kansas City recusou oferecer-lhe um novo contrato, optando por Justin Reid.

Enquanto isso, New Orleans perdeu os dois safeties titulares. Marcus Williams assinou com Baltimore na free agency e Malcom Jenkins se aposentou.

“Eu já vivi bastante essa coisa de NFL e, chegando no meu décimo ano, você nem sempre pode prever o futuro”, ele diz. “Quando percebi que os Saints me queriam e eu, obviamente queria jogar com eles, foi a oportunidade que sabia que não ia deixar passar.

Os Saints, Mathieu disse, foi o único time que ele visitou durante a free agency. Essa visita aconteceu em 5 de abril, quando ele estava na cidade visitando a LSU. Uma foto de Mathieu entrando nas dependências dos Saints rodou pelas redes sociais àquele dia, com ele acompanhado pelo diretor Michael Parenton.

Mathieu disse que esteve na Louisiana durante quase a offseason inteira.

Ele lançou a primeira bola no Alex Box Stadium. Conversou com o time de futebol americano de LSU várias vezes. Visitou algumas instituições de caridade. E quando foi assistir ao jogo de primavera de LSU, no último mês, ele tuitou: “Não consigo ficar longe”.

Agora, ele está a menos de 150 Km de distância.

“Ter esse momento de representar minha família, meus amigos e representar meu estado, tudo que passei e superei, tenho certeza que vai animar muita gente”, ele completa.

“Ele não tem certeza de qual número irá vestir, apesar de estar listado com a 32. Ele ainda precisa desenvolver uma química com Marcus Maye, C.J. Gardner-Johnosn e o resto da secundária.

Ele quer se incluir na comunidade – coisa que mencionou pelos menos dez vezes durante a entrevista coletiva de quarta-feira.

“Estou ansioso para estar junto com a minha gente, nossa gente”, Mathieu disse.

E continuo: “Estou muito agradecido de estar aqui, de ter essa oportunidade e poder ajudar a comunidade e realmente inspirar essas crianças a serem melhores, quero dar a elas esperança.” Mathieu disse. “É sobre isso.”

Ele não precisa de playbook para isso, pois ele não assinou contrato com um time qualquer numa cidade qualquer.

Ele está jogando por suas raízes.  

Traduzido de: nola.com

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.