Mundo WhoDat

A casa do torcedor do New Orleans Saints no Brasil!

Derek Carr está animado em liderar o ataque ‘explosivo’ dos Saints

Por Michael Baca | Editor de Conteúdo Digital

TRADUZIDO POR BRUNO PIMENTA STARLING

Os Saints fizeram a primeira grande jogada da offseason ao contratar Derek Carr no início da free agency, e a NFL viu um grande efeito cascata com um quarterback veterano fora da mesa de negociações.

A chegada de Carr em Nova Orleans levou várias semanas, começando com uma visita aos Saints enquanto ele ainda estava sob contrato com os Raiders e terminando com um contrato de quatro anos e US$ 150 milhões depois de ser cortejado por um punhado de equipes durante a free agency.

Muitos fatores pesaram para a contratação de Carr pelos Saints, desde seu relacionamento inicial com o treinador Dennis Allen até o clube manter um elenco do calibre de playoffs em 2023. Mas o que finalmente levou seus desejos à Louisiana foi o interesse contínuo dos Saints ao longo de todo o processo.

“Foi muito importante”, disse Carr na sua conferência de apresentação. “Isso me mostrou como eles se sentiam em relação a mim desde o início. Eles foram muito honestos e claros. Você ouviu o D.A. (Dennis Allen). O que ele disse é exatamente o que ele me falou ao telefone. O fato de eles estarem dispostos a negociar por mim significou algo. Isso me demonstra que você está mostrando valor sem me mostrar valor. Você está me valorizando como quarterback e como ser humano, sem ter que dizer nada. Isso significou algo e foi muito. Obviamente, nosso relacionamento remonta a outros tempos e tal, mas desta vez eles foram os primeiros a mostrar interesse. Lembro que Tim (agente de Carr) me ligou e me disse. Marcamos uma visita, e essas coisas significaram muito. Quando você entra neste prédio e conhece todo mundo, e você fala de futebol e vai jantar. Então você conhece a Sra. (Gayle) Benson. É, tipo, como você não vem pra cá? Você está procurando as coisas boas em todos os lugares e havia muitas coisas boas em outros lugares, mas é difícil encontrar um lugar que tenha quase tudo.”

Nova Orleans abordou sua maior necessidade ao contratar Carr. O ataque dos Saints, carregado de talento nas posições de habilidade, lutou muito para marcar pontos devido às suas limitações na posição de quarterback, e culminou em um recorde de 7-10, apesar de ostentar uma defesa entre as cinco primeiras da liga.

Carr expressou seu entusiasmo para liderar um ataque “explosivo” com várias peças-chaves já no lugar, e que o wide receiver dos Saints Michael Thomas era outro componente puxando-o para Nova Orleans.

“A primeira vez que falei com ele ao telefone, acho que ele não queria que eu desligasse”, disse Carr, que também divulgou suas conversas com grandes nomes do Saints, como Drew Brees e Archie Manning, antes de tomar sua decisão. “Gostei muito de conversar com ele. Eu disse a Mickey (Loomis): quando você fala com Mike Thomas, você sente que vocês dois podem enfrentar o mundo. Eu disse à minha esposa quando desliguei o telefone e apenas perguntei ‘por que você está sorrindo?’ e eu estava, tipo, eu amo esse cara; ele é tão competitivo e acho que a energia que ele traz, é um momento muito emocionante lançar a bola para ele. Então, quando ele começou o recrutamento conversando comigo e tudo, ele nem estava tentando me recrutar, ele estava, tipo, ‘Quando vamos começar a trabalhar? Estamos perdendo tempo.” E eu fiquei tipo, ‘sinto-me da mesma maneira, mas vamos chegar lá’. E acho que nosso relacionamento cresceu através desse processo e estou ansioso para torná-lo mais forte.”

Outro fator para Carr foi a construção atual da defesa dos Saints, uma unidade que recentemente anulou o QB na semana 8 da temporada passada.

“Uma coisa para mim ao tomar essa decisão, é olhar para currículos passados”, disse Carr. “Mas uma vez que eu soube, quando você assina com uma equipe, nenhuma das estatísticas ou qualquer coisa no passado importa. No momento, não temos classificação ou vitórias. A coisa mais importante para mim era o caráter dos homens no vestiário, não realmente o ranqueamento e esse tipo de coisa. Quando falo com os caras da defesa aqui, e conheço muitos deles há muitos anos, mas eles são homens adultos. Eles sabem como lidar com o sucesso e os tempos difíceis. Eles competem em tudo o que fazem e, no ano passado, quando eu dizia ‘nós’ (Raiders), vocês nos destruíram aqui no Super Dome.

“Você pôde sentir a fisicalidade com a qual eles jogaram. Você pôde sentir a energia, a camaradagem, você pode sentir essas coisas e eu estava tão chateado depois do jogo, desculpe minha linguagem, mas eu estava tipo, ‘Uau’. Que oportunidade é fazer disso uma das minhas escolhas agora. Mas, novamente, os ranqueamentos e as estatísticas, eles seriam os primeiros a dizer que nada disso importa. Tudo o que eu fiz no passado ou eles fizeram no passado não importa, vai ser o que vamos fazer. A principal coisa para mim era o caráter e o tipo de homens que estão naquele vestiário, e o tipo de homens era o que era tão intrigante para mim. Eles são grandes homens. Como eu disse, a fisicalidade com que eles jogaram e o estilo de jogo que eu sei que D.A. (Dennis Allen) prega, isso foi algo que me estimulou.

O novo começo de Carr segue um final sem cerimônia de um período de quase uma década como jogador dos Raiders. Escolha de segunda rodada em 2014, Carr entrou como estreante e trouxe a franquia de volta à proeminência em 2016, levando os Raiders a um recorde de 12-3 antes de uma lesão na perna que interrompeu uma temporada em que se destacava.

Levou anos para Carr e os Raiders recuperarem a forma após essa temporada malfadada, mas Carr manteve uma perspectiva positiva ao longo dos anos; ajudou na transição da franquia de Oakland para Las Vegas e suportou uma temporada tumultuada em 2021, que viu a partida no meio da temporada do treinador Jon Gruden e culminou com uma aparição inesperada nos playoffs.

Os Raiders colocaram Carr no banco para os dois últimos jogos de uma temporada decepcionante de 2022, e as cartas estavam dadas com relação ao seu futuro no clube. Em nove temporadas com os Raiders, o quatro vezes Pro Bowler produziu 35.222 jardas com uma porcentagem de 64,6 passes completos, 217 touchdowns e 99 interceptações, e um recorde de 63-79 na temporada regular no comando da equipe.

2023 prenuncia ser o recomeço ideal para Carr, que explicou sua ansiedade ficando “um pouco mais quente por dentro” depois de seus anos em Las Vegas. O futuro jogador de 32 anos expressou sua ansiedade para colocar as coisas em andamento durante seu primeiro dia oficial como um Saint, mas estava bem ciente de seu dever como um QB veterano vindo a bordo de uma equipe unida e forjada por seus atuais líderes.

“Eu não estou vindo aqui para tentar assumir qualquer coisa”, disse ele. “Eu vou ser eu e vou chamar o que eu quero chamar. Vou encorajar o que acho que deveria ser encorajado, mas estou aqui para fazer isso com Cam (Jordan), DeMario (Davis), Tyrann (Mathieu), Taysom (Hill), Alvin (Kamara) e Mike (Thomas).

“Se queremos ir longe, temos que ir juntos. Não é só porque Derek aparece que vamos fazer algo especial. É porque todos nós decidimos, como uma unidade coletiva, ir em uma direção e fazer da mesma maneira. Isso começa nas OTAs [atividades organizadas pelas equipes] em abril, trazendo todos aqui e começando a trabalhar se quisermos fazer o que queremos fazer.”

Nota do editor: algumas partes do texto foram editadas para melhor clareza.

Imagem de capa: skysports.com/nfl

Traduzido de: nfl.com/news

Please follow and like us:

Leave comment

Your email address will not be published. Required fields are marked with *.